Qual é o Sistema de Gestão de Aprendizagem ideal para sua empresa?

Os desafios na gestão de treinamentos corporativos são muitos. Um Sistema de Gestão de Aprendizagem (SGA) que vá de encontro aos objetivos de sua empresa pode facilitar muito o processo. É preciso engajar os participantes, personalizar o aprendizado, ser ágil na hora de atualizar conteúdos e processos, otimizar custos e, depois de tudo, mensurar os resultados, para que não se percam os acertos e não se repitam os erros. Tudo dentro de um ambiente de aprendizado eficaz.

Ao escolher o SGA ideal para as necessidades do seu negócio, é possível otimizar o tempo de sua equipe e desenvolver as competências de seus funcionários. SGA é a plataforma onde são configurados, armazenados e executados cursos e treinamentos online.

No mercado, existem diversos sistemas, com recursos básicos como ampliação da capacidade de atendimento aos usuários; recursos médios, como a customização e automatização do sistema; ou ferramentas mais completas, com hospedagem gerenciada e complexos processos de automatização da experiência do usuário.

Para escolher entre todas essas opções assertivamente, é preciso considerar diversas variáveis e sempre ter como foco a experiência de aprendizado do colaborador.

Confira algumas das variáveis importantes para levar em consideração:

1 – Os objetivos da empresa

Antes de escolher o sistema ideal, é preciso definir exatamente o objetivo ao usar a educação a distância, ou seja, se sua empresa precisa capacitar, treinar ou atualizar os colaboradores. Definir os problemas a serem superados com o treinamento e as necessidades de curto, médio e longo prazo garantem que o investimento será realmente o necessário.

Para auxiliar ainda mais na sua decisão, levando em consideração esse ponto, preparamos este quiz exclusivo, onde você opta pelos recursos que se relacionam com os objetivos da empresa e descobre qual a complexidade que o SGA ideal para sua empresa precisa ter.

FAÇA O QUIZ GRATUITAMENTE CLICANDO AQUI.

2 – O público-alvo  

Nesse ponto, você deve definir quem irá participar destes cursos e treinamentos e quais são as necessidades de cada perfil. Com essa avaliação, é possível escolher um SGA que irá auxiliar na obtenção do retorno desejado. Serão novos colaboradores? Ou funcionários atuais que precisam ser atualizados sobre políticas ou modificações corporativas? No primeiro caso, é necessário um sistema mais completo e que possa disponibilizar uma quantidade maior de conteúdos.

Outros pontos são pensar se os cursos serão destinados a cargos ou áreas específicas, qual o número de participantes (o que implica em um suporte tecnológico maior ou menor), o nível de intimidade que os seus colaboradores têm com a tecnologia e em quais plataformas será possível acessar o curso.

Além das questões técnicas, também é indispensável alinhar os objetivos didáticos dos treinamentos: quais são as habilidades que seus colaboradores devem desenvolver ao participar do curso e de que maneira conseguirão completar esses objetivos?

Esse questionamento nos leva ao próximo ponto.

3 – Personalização visual e de conteúdo

Nossos especialistas sempre relembram que escolher elementos que facilitem a experiência dos colaboradores dentro do treinamento é imprescindível. Não se pode desconsiderar a experiência prévia dos usuários e como isso impacta a prática atual. No sistema de gestão de aprendizagem, essa decisão reflete na implementação e no investimento financeiro da plataforma.

Para empresas que são conglomerados e possuem diversas unidades de negócio, com experiências próprias de mercado, ter um visual independente para cada uma pode ser interessante e até muito relevante no treinamento corporativo.

Outro ponto importante a ser considerado é que diferentes perfis podem ser sensibilizados de diferentes maneiras. O que isso significa? Que você deve ir além do pensamento convencional de uso de EAD nos treinamentos empresariais.

Existem novas ferramentas de aprendizagem que podem impactar melhor o perfil de colaboradores de sua empresa e tornar a absorção do conteúdo mais fácil. Uma ferramenta de webconferência, por exemplo, pode ser muito útil para realizar webinars, apresentar resultados ou qualquer evento que aconteça com muitos participantes simultâneos. A ferramenta da Blackboard, o Collaborate, por exemplo, pode ser usado para até 500 usuários ao mesmo tempo.

Soluções de conteúdo devem levar muito em consideração o perfil dos usuários. Usar o conceito de Gamification, ou seja, transformar um conteúdo em um jogo, é mais custoso e demanda um maior planejamento, porém incentiva interações sociais e a aprendizagem ativa pelos usuários. Mas se o investimento precisa ser menor, um eBook pode resolver, pois é um formato acessível que os usuários estão acostumados a usar.

Você pode assistir à gravação do webinar que realizamos sobre o tema, em que nossos especialistas em tecnologia aplicada à educação conversaram sobre como melhorar a performance do EAD corporativo nestes aspectos.

4 – Duração das aulas, cursos e treinamentos

Os treinamentos de sua empresa serão rápidos ou mais longos? Serão certificações ou especializações mais complexas? O grau de aprofundamento influencia nos recursos que a plataforma precisa ter e no tempo que a equipe de RH precisará despender para essas atividades. Se é preciso um grau mais avançado, porém a equipe é enxuta, pode ser necessário um sistema de gestão de aprendizagem que ofereça automatizações para a trilha do usuário.

Também é importante pensar em que momento os colaboradores poderão realizar as aulas. Para um vendedor da área farmacêutica, por exemplo, o dia é muito corrido e cheio de reuniões. Portanto, pílulas de aprendizagem funcionam melhor, pois ele pode vê-las entre uma reunião e outra.

5 – Verba e disponibilidade da equipe de RH

Esse ponto impacta diretamente na estratégia de gestão de EAD. Se a verba for curta, é preciso ser mais criativo e adequar a solução ao orçamento. No caso da equipe de RH, se for enxuta ou o volume de trabalho for muito maior do que a força de trabalho, ferramentas de automatização da jornada do usuário e suporte do time de conteúdo podem economizar muito tempo e ainda garantir um acompanhamento individualizado dos usuários.   

6 – Compatibilidade, integração de sistemas e formas de mensuração

Agora é hora de pensar quais os dispositivos tecnológicos que serão utilizados pelos usuários ao acessar o conteúdo. Do ponto de vista da tecnologia, serão computadores, celulares ou tablets? Além disso, existem ou existirão pessoas com necessidades especiais, que precisarão de tratamento especial tecnológico e no conteúdo?

Outro ponto é avaliar a necessidade de integrar o sistema da empresa com o software do Sistema de Gestão de Aprendizagem, pois isso irá influenciar no tempo de trabalho da equipe de RH e na disponibilização do conteúdo de forma automática, principalmente se o conteúdo for replicado para um número maior de pessoas no futuro.

A parte de relatórios das ferramentas também é muito importante. Assim, é possível medir e coletar dados de aproveitamento dos colaboradores, conseguindo identificar quais pontos melhor funcionaram na aprendizagem. Encontrar uma ferramenta que disponha dos indicadores importantes em sua empresa é essencial para tornar a mensuração de dados útil a seus objetivos.

Sabemos que são muitas as variáveis que precisam ser analisadas e alguns dos Sistemas de Gestão de Aprendizagem oferecem diversos recursos. Para ajudar, preparamos esta PLANILHA COMPARATIVA GRATUITA, listando os recursos disponíveis no mercado, com os aspectos do Moodlerooms, o SGA da Blackboard, já marcados. Assim, você não esquece de nenhum ponto importante na hora da decisão.

ACESSAR PLANILHA COMPARATIVA