Blog

31 de Maio de 2012

Tecnologia e educação

Fonte: Gazeta do Povo Os adolescentes estão antenados o tempo todo, desempenham tarefas ao mesmo tempo e o computador, o tablet e o celular são parte de suas atividades diárias, tanto para os estudos, quanto para diversão. Como utilizar a tecnologia de maneira positiva na educação? Especialistas colocam que o papel do professor é essencial neste processo, auxiliando alunos na seleção das alternativas para acessar informações. Para espantar o medo de que o professor seja dispensado neste processo, é preciso atualização constante, para se tornar um facilitador, direcionando os alunos para a utilização correta dos dispositivos e pensando conteúdos e atividades personalizados para estes, evitando tornar-se um elemento descartável e despertando o interesse dos alunos para a aula. A educadora Cristiana Mattos de Assumpção, coordenadora de Tecnologia Educacional do Colégio Bandeirante, de São Paulo, acredita que é necessário incorporar a tecnologia na cultura da escola, permitindo, inclusive, o uso de celulares dentro da sala de aula. Ela conta que para isso foi necessária a realização de um projeto permanente na instituição. Os esforços começaram em 2008, primeiramente com a sensibilização dos educadores e posteriormente com o envolvimento dos alunos, pais e funcionários. “Nossa preocupação sempre foi de capacitar primeiro os professores”, afirma. O projeto inclui pesquisas constantes para identificar hábitos dos alunos e abrange também cursos e palestras sobre Ética, Cidadania Digital e Direito de Imagem, entre outros assuntos. Outra característica importante do projeto é a criação de cartilhas de uso responsável da tecnologia, elaboradas e debatidas entre alunos e professores. Aulas mais atrativas e dinâmicas Matheus Domanski, 16 anos, aluno do 2º ano do ensino médio, acredita que a tecnologia liga o aluno ao professor. “Ajudamos o professor levando informações que encontramos na internet para agregar à aula. Já o professor indica sites que podem nos ajudar e usa a tecnologia para deixar as aulas mais atrativas e dinâmicas”, diz. As escolas e educadores precisam pensar no relacionamento com seus alunos, tirando o foco da questão hierárquica. Orientação

Crianças e adolescentes dominam as tecnologias, mas para a educadora Cristiana Mattos Assumpção, pais e professores não podem abandoná-los à própria sorte. Confira algumas orientações: Pais – Acompanhar o que os filhos estão fazendo na internet – Colocar o computador em lugar público – Configurar a máquina para uso seguro – Criar regras de uso responsável junto com os filhos – Limitar o tempo de uso. Estimular os filhos a realizarem também outras atividades Educadores – Usar as ferramentas que os alunos usam, para entender como elas funcionam – Usar as tecnologias para suas atividades diárias, para ficarem confortáveis com seu uso – Criar junto com os alunos regras de uso responsável – Acompanhar o que os estudantes estão fazendo on-line – Criar projetos para aproveitar os pontos positivos que a tecnologia oferece