Blog

21 de setembro de 2012

Tablets impulsionam gastos em TI em educação

Fonte: Convergência Digital – Cobertura Especial RioInfo 2012 A área de Educação é uma das mais promissoras para o setor de Tecnologia da Informação, revela pesquisa feita pela Frost &Sullivan no mercado nacional. De acordo com o levantamento, o segmento vem sendo impulsionado pelo aumento do número de instituições de ensino, programas de inclusão social, nos quais permitem que pessoas com menor poder aquisitivo possam ter acesso à universidades, além do crescimento da oferta de educação a distância. Instituições de ensino, reporta o estudo da consultoria, estão cada vez mais utilizando tecnologias para preparar melhor seus professores e estudantes, além de fazer uma gestão planejada com a ajuda de softwares específicos. Essas ações têm atraído a atenção de diversas empresas que visam aproveitar as oportunidades latentes no mercado. Neste sentido, há no setor um movimento não apenas de consolidação de empresas focadas especificamente em educação, como a Moodle e Blackboard, mas também de entrada de empresas de TI, como Microsoft e Google. No estudo foram também realizadas entrevistas com colégios e universidades para compreender o grau de adoção de determinadas tecnologias no setor e prioridades de investimento em TI. Segundo os resultados obtidos, uma das tecnologias que merece destaque são os tablets, que já foram adotados por 27% dos entrevistados, enquanto 36% disseram que pretendem adotar esse dispositivo nos próximos 2 anos. Tais números evidenciam o reconhecimento dos tablets como uma importante ferramenta de ensino, principalmente no que diz respeito à interatividade, acesso a conteúdo e economia de papel. Outra tecnologia que, segundo o estudo, tende a crescer nos próximos anos é a educação à distância, a qual deve ser adotada por 18% dos respondentes nos próximos anos. Ainda de acordo com o levantamento, 50% das instituições entrevistadas afirmaram que possuem um área de TI dentro de suas instituições e somente 9% afirmaram que não possuem uma área de TI. Isso reflete a importância que Tecnologia da Informação tem na educação, de modo a impulsionar esse setor. “O Brasil está dando importantes passos para cada vez mais melhorar seu ensino, através de práticas como adoção de educação a distância, além de adotar tecnologias que ajudam os professores a desenvolverem aulas mais interativas para seus alunos. Essas são ferramentas a mais para aprimorar a qualidade de ensino oferecido, porém ainda existem diversas barreiras que o país precisa atravessar para que possa ser considerado uma referência na educação”, conclui Maurício Chede, analista da Frost&Sullivan.