Conheça o Polls, da Blackboard, ferramenta gratuita para fazer enquetes on-line em salas de aula

Como saber a opinião dos alunos sobre determinado assunto em tempo real, sem atrapalhar o andamento da aula? Em um país como o Brasil, em que, segundo dados do Ibope de 2013, 50% dos 72 milhões de internautas acessam a Internet para fins relacionados à educação, é fácil imaginar que essa resposta está online. Por isso, a Blackboard lançou a ferramenta Polls by Blackboard, que possibilita realizar enquetes com os alunos durante a aula, de forma gratuita.

O Polls permite que enquetes sejam respondidas em tempo real por meio de um aplicativo para iPhone, dispositivos móveis ou por um navegador Web. Os usuários podem enviar feedback sobre o produto diretamente do app ou por meio do site, permitindo que a empresa realize melhorias nas próximas atualizações. A ferramenta ainda está disponível apenas em inglês, mas em breve terá versão em português. Além de facilitar o ensino a distância, o Polls incorpora mais um meio de interação em salas de aula, permitindo o maior fluxo de comunicação possível entre aluno e professor.

Em um país onde o número de alunos em cursos a distância triplicou nos últimos cinco anos, fica fácil perceber que tecnologia educacional é o ponto focal de investimentos das IES. Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem, por exemplo, já estão se consolidando no Brasil. Levando em consideração apenas as soluções Blackboard (como o Blackboard Learn), já são mais de 1 milhão de usuários brasileiros em instituições como a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) e a Universidade Anhembi-Morumbi (comprada no passado pelo Grupo Laureate, que recentemente comprou a FMU).

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

5 maneiras inovadoras de usar a tecnologia, segundo os alunos

Você acha que os estudantes usam a Internet de maneira produtiva? Claro, eles gastam muito tempo curtindo posts no Facebook, tuitando e conversando pelo Whatsapp, mas essas interações não são as únicas atividades deles na web. Os chamados nativos digitais estão, sim, utilizando a tecnologia para aprender ainda mais.

Geração Y ainda acredita na necessidade de um professor e nas aulas presenciais, mas também espera que os serviços e recursos digitais voltados para a educação tenham velocidade, conveniência, flexibilidade e potência. Com todas essas exigências, como será que eles estão usando essas ferramentas? Inspirados no site Edudemic, listamos aqui cinco maneiras inovadoras de usar a tecnologia, segundo os jovens.

1. Organizando o cronograma
O smartphone serve para atividades além das conversas no Whatsapp. Os alunos utilizam aplicativos de organização, agendas, alarmes e lembretes para recordar prazos de projetos e avaliações. Muitas ferramentas disponíveis na web podem ser acessadas no celular, tornando os estudantes mais conectados com o que está acontecendo em sala de aula.

2. Estudando em ambientes híbridos
Os alunos preferem assistir a aulas on-line, responder quizzes, obter os resultados imediatamente e, depois, trabalhar seus pontos fracos em sala de aula. Nos Estados Unidos (EUA), 63% dos alunos preferem um ambiente híbrido de aprendizagem, onde o professor precisa tirar dúvidas individuais e aprimorar o conhecimento das aulas feitas de maneira virtual.

3. Fazendo experimentos em laboratórios virtuais
Os jovens se adaptam com facilidade às limitações que podem existir nas instituições de ensino. Quando não é possível fazer experiências em laboratórios dentro da universidade, os alunos podem utilizar laboratórios virtuais para solucionar esse problema. Nos EUA, universidades têm espaços onde alunos aprendem, virtualmente, a fazer experimentos.

4. Compartilhando conhecimento
Diferente das gerações anteriores, a Geração Y acha que compartilhar o conhecimento é algo tão natural quanto respirar. Os alunos utilizam as redes sociais para manter contato com os colegas, solucionar dúvidas sobre conteúdos que aprenderam em sala de aula ou fazer trabalhos em grupo. Além do entretenimento, esses espaços se transformam em um ambiente de aprendizado e troca de informações realmente relevantes para a formação dos alunos.

5. Colocando em prática as lições de sala de aula
Antigamente os alunos iam para casa e praticavam o que aprendiam sozinhos. Hoje, com todas as possibilidades de comunicação disponíveis (chamadas de vídeo, chats, comunicadores instantâneos, etc.) é muito mais fácil tirar dúvidas e praticar lições com os colegas. O contato entre eles fora de sala de aula facilita a troca de conhecimento.

Portanto, este é um grande desafio para os gestores das universidades: acompanhar as necessidades dos estudantes, buscando fornecer ferramentas para o desenvolvimento de suas capacidades.

E você, utiliza a tecnologia de maneira inovadora?

Quer continuar a discussão por email? Cadastre-se na nossa newsletter Desafios da Educação clicando neste link.

FAÇA UM COMENTÁRIO

10 pontos que merecem atenção quando o assunto é EAD

Qualificação é palavra de ordem no Brasil. A cada semestre, cresce o número de estudantes que se matriculam nas universidades em busca de formação profissional. Apesar do interesse pelo ensino superior, muitos alunos têm dificuldades em conciliar a rotina com as aulas presenciais. É nesse cenário que o Ensino a Distância (EAD) vem ganhando cada vez mais adeptos. Pensando nos gestores e professores que enfrentam o desafio de administrar as salas de aula virtuais, reunimos 10 pontos que merecem atenção no Ensino a Distância:

1. Planejamento é a chave de um curso de sucesso- Organização das disciplinas, docentes, materiais que serão necessários, quais tecnologias serão utilizadas, qual o aproveitamento esperado pelos alunos, enfim, cada detalhe deve ser observado com a máxima atenção. Nesse momento, é fundamental entender melhor para quem você está pensando o curso. A maioria dos estudantes faz parte da chamada Geração Y, que tem a tecnologia como principal aliada.

2. Dê atenção ao cronogram- cronograma é fundamental para todo planejamento, mas no EAD ele se transforma em um dos protagonistas. Qualquer alteração em datas estabelecidas no início do semestre pode causar problemas com entrega de trabalhos ou mesmo avaliações. Um cronograma bem organizado evita erros de comunicação entre docentes e alunos.

3. Divulgue o planejamento do semestre- Depois de pensar todas as atividades e colocá-las nas datas adequadas, é preciso divulgar o que vai ocorrer durante o semestre. Tornar o planejamento claro para todos auxilia alunos e docentes na própria organização.

4Esclareça os prazos constantemente- Mesmo informando todo o cronograma no início do semestre, é importante relembrar estudantes e professores dos prazos. Seja por meio do e-mail ou da plataforma utilizada pelo curso, pequenos lembretes antes de datas importantes podem evitar atrasos na entrega de trabalhos e relatórios.

5. Utilize ferramentas online- Incentivar o uso das ferramentas disponíveis na Internet pode facilitar a rotina de gestores, alunos e professores. Nós já listamos aqui algumas sugestões que você pode adequar para a sala de aula.

6Personalize o aprendizado- Entender o que e como os alunos aprendem será fundamental para os gestores nos próximos anos. Analisar os dados fornecidos pelas as atividades online é uma das tendências da educação. Com essas informações em mãos será possível personalizar o ensino, dando de maneira individual as ferramentas necessárias para o desenvolvimento pleno de cada um.

7. Permita a troca de experiências- Uma das principais diferenças entre a sala de aula tradicional e o EAD é a troca de experiênciasentre os estudantes e professores. Porém, a tecnologia pode diminuir essa distância e oportunizar espaços onde hajam debates sobre os assuntos aprendidos em classe. Isso ajuda na fixação de conteúdos e cria redes de relacionamento. O gestor deve prever a necessidade de tecnologias que incentivem colaboração entre os alunos.

8. Proporcione o espaço físico adequado- Mesmo quando se fala de Ensino a Distância é preciso prever os espaços físicos necessários para que as aulas aconteçam. Desde estúdios onde as aulas serão gravadas até espaços que o estudante utilize para tirar dúvidas presenciais.

9. Solucione as dúvidas- Cada pessoa é única e vai precisar de atenção especial em um determinado momento do semestre. Por isso, os gestores precisam pensar em um local onde o aluno e docente se encontrem para solucionar as dúvidas sobre os temas aprendidos nas aulas. Nesse local, que pode ser online ou físico, deve ser possível encontrar o professor ou um monitor, que estará disponível para responder os questionamentos adquiridos durante o desenvolvimento da disciplina.

10Motive os alunos- Estudar sozinho pode ser uma tarefa difícil para muito estudantes. Trabalhar a motivação pode ser a chave do EAD. Tarefas desafiadoras e recompensas tornam as lições mais complexas e instigantes. Jogos educacionais fazem parte das tendências da educação nos próximos anos e podem criar uma nova dinâmica de aprendizagem.

Em sua opinião, o que os cursos EAD precisam fazer para atrair mais a atenção dos estudantes?

Para discutir mais sobre experiências e inovações em ensino a distância, inscreva-se na edição do Rio de Janeiro do Ciclo de Debates Desafios da Educação. O evento acontece dia 23 de outubro, no Everest Rio Hotel. As vagas são gratuitas e limitadas.

Fonte: Desafios da Educação

FAÇA UM COMENTÁRIO

15 passos para adotar tecnologias em sala de aula

Para um professor que só foi se relacionar com a internet apenas depois de adulto, as tecnologias digitais, tão familiares para crianças e adolescentes, podem até parecer um universo hostil. Mas, de acordo com Luciana Allan, diretora do Instituto Crescer para a Cidadania e especialista em tecnologias aplicadas à educação, não há o que temer. Ela recentemente lançou um livro que busca ajudar o professor nesse momento de transformação e compartilhar insumos para que ele seja capaz de promover a chamada educação 3.0: Crescer em Rede –Um guia para promover a formação continuada de professores para adoção de tecnologias digitais no contexto educacional.

Luciana afirma que com a adoção das tecnologias digitais dentro e fora das salas de aula, o processo de ensino e aprendizagem vem se tornando, rapidamente, um grande desafio para uma geração de professores que estudou e aprendeu a ensinar em uma era pré-digital.

Confira os 15 passos enumerados por Luciana, para que os professores adotem tecnologias digitais como ferramentas pedagógicas na sala de aula:

1. Acredite que as tecnologias digitais podem colaborar para promover novas práticas pedagógicas;

2. Entenda como estes recursos podem ser incorporados à rotina escolar;

3. Conheça algumas possibilidades que fazem sentido dentro da sua área de trabalho e se aproprie de algumas ferramentas tecnológicas;

4. Planeje novas estratégias de ensino que tenham o aluno no centro do processo de aprendizado e o professor como mediador da construção do conhecimento;

5. Pense em um ensino mais personalizado e uma avaliação que leve em consideração as necessidades de cada aluno, visto que o conhecimento está disponível e o foco da educação não é mais a transmissão de conteúdo, mas sim o desenvolvimento de competências e habilidades;

6. Incentive os alunos a pesquisar na internet. Oriente-os a pesquisar fazendo uso de palavras-chave e símbolos. Além disso, indique bibliografias e sites úteis para que desenvolvam com qualidade o trabalho;

7. Permita que os alunos comparem informações e discutam sobre os temas pesquisados, sinalizando a confiabilidade da informação;.

8. Estimule os alunos a produzir seus próprios textos, em diferentes formatos, a partir das pesquisas realizadas na internet e em outras mídias, bem como a mencionar autores e fontes pesquisadas;

9. Motive os alunos a participar de projetos colaborativos, inclusive com estudantes de outras escolas no Brasil e no exterior;

10. Crie ou estimule seus alunos a criarem um espaço virtual exclusivo para produção de trabalhos colaborativos (uma página no Facebook, um perfil no Twitter, um blog, um disco virtual);

11.  Incentive os alunos a compartilhar seus trabalhos na internet para que qualquer pessoa possa ter acesso, contribuir e fazer críticas;

12.  Valorize o uso de diferentes recursos tecnológicos para produção de trabalhos escolares, como vídeos, fotos, podcasts, blogs, slides, gráficos, banco de dados, ou seja toda e qualquer ferramenta que possa ser utilizada no dia a dia escolar ou futuramente no mercado de trabalho;

13.  Permita diferentes formas de manifestação e expressão no desenvolvimento dos trabalhos, dando espaço à criatividade e pró-atividade;

14.  Engaje os alunos em tarefas desafiadoras, que façam sentido para suas vidas, que proporcionem o trabalho em equipe e administração do tempo;

15.  Propicie a produção de games, estimulando o raciocínio lógico, com o uso de softwares de programação.

Fonte: Porvir

FAÇA UM COMENTÁRIO

Utilizando o Facebook em sala de aula

Com tantas inovações tecnológicas, conseguir implementá-las ao dia-a-dia é essencial para se manter atualizado. Para os professores dessa era digital, existem maneiras de fazer com que essas inovações tecnológicas contribuam para o ensino. Interagir com os alunos por redes sociais, como o Facebook, por exemplo, pode ser uma ótima alternativa para acompanhar o desenvolvimento no aprendizado deles e manter contato quando necessário.

Confira 4 dicas para os professores utilizarem o Facebook em sala de aula:

1. Mantenha seu perfil profissional– Seu Facebook deve mostrar o seu trabalho, já que você pretende se conectar com alunos, com colegas de trabalho e também com as instituições de ensino nas quais poderia trabalhar. Por isso, é importante que você mantenha sua página com uma imagem profissional, para que assim, não seja necessário se preocupar com o que é apropriado compartilhar ou não.

2. Crie uma página– Uma das maneiras de interagir com seus alunos sem precisar adicioná-los ao seu perfil é criar uma página. Com isso, você pode atualizar os estudantes e até os pais deles sobre o que tem ocorrido na sala de aula, datas de entrega para projetos, etc. Como páginas no Facebook são públicas e todos podem ter acesso ao conteúdo, você também pode compartilhar conteúdo que seria interessante para mais pessoas e então divulgar seu trabalho.

3. Crie um grupo– Se você prefere apenas interagir com seus alunos de maneira privada, criar um grupo é uma boa alternativa. Isso também possibilitará que todos compartilhem ideias, trabalhos, datas, lembretes, etc.

4. Dê orientações– Mesmo que as redes sociais sejam ferramentas com as quais os estudantes normalmente estão acostumados, é necessário que você implemente algumas regras a seus alunos para que eles interajam de maneira correta.

Fonte: Universia

FAÇA UM COMENTÁRIO

Veja mais posts

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.