Uso da tecnologia em sala de aula desperta interesse nos alunos

Da educação infantil à graduação, existe uma grande preocupação de proporcionar ao aluno atividades atrativas que, aliadas ao conteúdo pedagógico de cada disciplina, auxiliem efetivamente no aprendizado. Os estudantes de hoje aprendem com muita facilidade e rapidez, mas se cansam facilmente das práticas repetitivas do ensino cotidiano. Eles anseiam sempre por novidades! E é por isso que o uso da tecnologia em sala de aula desperta o interesse dos alunos.

Essa mudança na forma de aprender obriga o professor a elaborar diferentes aulas da mesma matéria para conseguir atingir uma ampla e diversificada gama de alunos. Os educadores sabem que precisam dispor sempre de novos recursos que os auxiliem a explorar as atividades em grupo, a aumentar a atenção e a disciplina na sala de aula.

Além disso, cada aluno tem necessidades e dificuldades diferentes e, por isso, o uso da tecnologia integrando conteúdos podem apoiar os professor no desenvolvimento e planejamento das aulas.

O próprio professor pode criar uma primeira atividade, que exigirá tempo para sua construção, mas que, posteriormente, poderá ser alterada e adaptada de acordo com os próximos conteúdos.

As metodologias ativas, que colocam o aluno no centro do aprendizado, transformando-o em protagonista de sua evolução acadêmica, encontram na tecnologia suporte para que o aluno absorva o conteúdo. Nesse outro post, você pode entender como a tecnologia facilita a aprendizagem no método da Sala de Aula Invertida.

Mais do que atrair e motivar, a tecnologia também pode garantir a acessibilidade no ensino, colaborando para que barreiras sejam superadas por pessoas que têm necessidades especiais. Nesse sentido, a tecnologia bem aplicada passa a ser uma facilitadora no acesso à informação e à educação.  

No caso de o professor não ter muita habilidade com inovações, ele pode solicitar ajuda de um aluno, que, certamente, se sentirá muito importante em realizar a tarefa. Além disso, veja também 7 hábitos altamente eficientes dos professores que usam tecnologia e torne-se um especialista no assunto. 

É natural que o uso da tecnologia em sala de aula desperte o interesse dos alunos. Elas lhes permitem criar atividades em planilhas eletrônicas, multimídia, fazer edição de filmes e imagens, entre muitos outros recursos. Essas atividades estimulam a participação dos alunos no processo de construção do próprio conhecimento. Mas, independentemente dos recursos ou materiais utilizados, só trarão os resultados esperados se forem bem direcionadas e planejadas.

Até na educação infantil já se provou que os jogos e as brincadeiras – diversas delas realizadas com o apoio da tecnologia – ajudam no desenvolvimento integral da criança. O uso de recursos tecnológicos vem ganhando cada vez mais espaço nas escolas. Por isso, o contato do aluno com a tecnologia é muito importante desde cedo, mantendo-o ao longo de sua formação. Qualquer disciplina, matéria ou conteúdo pode ter atividades preparadas, construídas e realizadas com recursos tecnológicos.

Se os educadores souberem combinar as atividades lúdicas com os recursos tecnológicos, as aulas não se tornarão rotineiras e maçantes, mas despertarão o interesse dos alunos, facilitando o aprendizado e desenvolvendo neles o gosto pelos estudos.

E não é só na sala de aula que a tecnologia colabora com o ensino. Conheça 4 verdades sobre como o uso de dados favorece o sucesso dos alunos também no acompanhamento da rotina escolar, no planejamento de aulas e muito mais.

Quer continuar bem informado? Saiba quais foram as melhores inovações para a educação em 2016 e surpreenda seus alunos!

Com informações de administradores.com.br

FAÇA UM COMENTÁRIO

Sete hábitos altamente eficientes dos professores que usam tecnologia

Na maioria das vezes, professores que usam tecnologia em sala de aula são muito diferentes dos que não usam. Eles gerenciam sua sala de aula de uma forma mais interativa, criam um ambiente positivo de aprendizagem e – grandes professores, especialmente – colaboram com as diversas partes interessadas para se certificar de que cada tentativa é humanamente possível para atender a todas as necessidades dos alunos.

Mas usar a tecnologia na sala de aula de forma eficaz pode exigir alguns pequenos ajustes por parte do professor para que dê resultados. Com inovação e alternativas criativas para solução de problemas, pode-se melhorar a aprendizagem com o uso da tecnologia.

Leia também:
O que os alunos estão nos dizendo sobre tecnologia e por que isso é importante

A influência das novas tecnologias em sala de aula

Veja no infográfico quais são os 7 hábitos eficientes dos professores que usam tecnologia:

7 hábitos altamente eficientes dos professores que usam tecnologia

FAÇA UM COMENTÁRIO

10 dicas para evitar uma desconexão na comunicação na instituição de ensino?

Ouvimos o tempo todo que uma comunicação eficaz em uma instituição de ensino é o centro para o sucesso do aluno. Embora isto seja verdade, pode ser complicado identificar como otimizar a sua estratégia de comunicação se você não sabe em quais áreas precisa melhorar. Você pode estar se perguntando:

-Estou atingindo as pessoas certas?
-Quais os canais de comunicação são relevantes nos dias de hoje?
-Meu público sabe onde encontrar informações?
-Como faço para determinar quais informações devo compartilhar?

Estas incertezas são comuns – são dúvidas de escolas e universidades de diversos países. Aqui, compartilhamos dez dicas para evitar uma “desconexão” em sua comunicação:

Como sabemos que estas dicas vão ajudar? Os pesquisadores da Blackboard ouviram educadores, pais e colegas, além de consultar especialistas em pesquisa.

1. Conheça sua comunidade

Qual o seu índice demográfico? A maioria das pessoas em sua comunidade tem mais de 65 anos? Se sim, a comunicação tradicional pode ser a forma mais eficaz de alcançá-los do que canais de mídias sociais. Sua comunidade é formada por pais jovens? Se a respostas for sim, enviar notificações para seus telefones pode ser um canal assertivo para compartilhar atualizações e notícias.

2. Conheça seu público-alvo

“Os boletins serão publicadas na próxima semana!” Esta notícia é importante, mas não necessariamente para todos os seus públicos. Os alunos, pais e famílias estão sempre interessados em informações acadêmicas. No entanto, a comunidade em geral pode não ter interesse nesta notícia. Esteja consciente sobre quem será impactado por suas notícias e anúncios e oriente-as para o público correto.

3. Sociabilize seus canais

Há uma desconexão entre os canais que você usar para se comunicar? Segundo a pesquisa, 84% dos líderes de comunicação dizem que sua instituição está presente nas mídias sociais, mas apenas 46% dos pais sabem disso. É difícil ganhar a aprovação dos familiares se você não diz a eles de diferentes maneiras que está mandando mensagens e se comunicando. Para corrigir esta falha, você pode divulgar a sua presença social, colocando ícones sociais em seu site, nos aplicativos e nas assinaturas de e-mail para clicar e se conectar.

4. Preste atenção às preferências da comunidade

Em uma pesquisa recente, aprendemos que as preferências de comunicação dos educadores foram, em alguns casos, drasticamente diferente das dos pais. Como líderes, é preciso ouvir as necessidades e desejos das famílias em sua comunidade em vez de depender de canais que você considera como melhores. 73% dos pais querem saber mais sobre o desempenho acadêmico de seu filho via e-mail, por isso é importante enviar este tipo de informação. Se as comunidades querem saber sobre eventos esportivos em seu site, publique isso em sua home page.

5. Questões urgentes precisam de comunicação urgente

É preciso adaptar a comunicação de forma que ela seja adequada a todas as situações e tenha uma “postura lógica” em todo seu planejamento. Situações emergenciais e informações sensíveis devem ser enviadas pelos canais móveis, como mensagens de texto e nas mídias sociais, para dispositivos que as pessoas carregam em todos os momentos – como smartphones e tablets. E é esta a preferência dos pais: 72% disseram que preferem mensagens de texto para notificações de emergência, mesmo que apenas 16% dos diretores preferem enviar recados através deste canal. Anúncios cotidianos, como menus de almoço, próximos programas e resultados desportivos podem ser postados no site ou em aplicativos para que o público acesse em seus momentos de lazer.

6. Pense fora da caixa

Com o recente aumento nas ferramentas de comunicação, pode ser difícil ter sucesso em todos os recursos que elas fornecem. Arrisque utilizar todos os recursos de suas ferramentas, aumentando as práticas tradicionais.

Por exemplo:

*Coloque o seu sistema de notificação em massa para trabalhar em todo o tipo de comunicação.

*Tenha um diálogo dentro de seu site, usando formulários e pesquisas para ter feedbacks de sua comunidade.

*Use o seu aplicativo móvel para compartilhar vídeos e manter a comunidade envolvida quando ela não puder participar.

7. Não compartilhe demais

Enviar muitos comunicados pode desestimular alguns públicos. Você não precisa fazer um minuto a minuto dos jogos realizados na instituição, por exemplo, mas seria interessante compartilhar a notícia sobre o time vencedor. É importante compartilhar informações, mas cuide para que seus seguidores não fiquem sobrecarregados.

8. Não compartilhe de menos

É preciso atualizar e ser atualizado. Se o conteúdo não é regularmente atualizado em seu site, aplicativo ou outras plataformas de mídias sociais, o seu público pode começar a ignorá-los.

9. Tenha canais diferentes para cada público

Vamos voltar o segundo ponto: conheça seu público-alvo. Conhecendo seu público e sabendo o que eles precisam da instituição, você pode ter um processo de comunicação muito mais assertivo e otimizado. Você não precisa lotar todos os canais com cada atualização da comunidade escolar. É importante ter sites específicos, listas de contatos, canais de mídias sociais e aplicativos para informações relevantes e direcionadas de acordo com o perfil de cada público.

10. Adaptar, adotar e unificar

O que você sabe hoje pode mudar amanhã. Em vez de ficar frustrado com a necessidade de adaptação, abrace as mudanças. Crie uma estratégia que inclua planos de comunicação que lhe permitem integrar novos canais e produtos, sem barreiras. Unificar as ferramentas é uma ótima maneira de poupar tempo e dinheiro.

Após estes tópicos, reforçamos a importância de uma comunicação eficaz e que atinja seus objetivos. É importante perceber que as formas de comunicação mudam de público para público e com o passar do tempo. A partir destas dicas, é possível fazer um bom planejamento de comunicação e bem informar diferentes comunidades que fazem parte da instituição.

Fonte: Blackboard

FAÇA UM COMENTÁRIO

4 dicas rápidas para aumentar a matrícula de estudantes

como aumentar o número de matrículas

Christina Fleming

Esta semana falarei na Mid-Atlantic Conference Regional UPCEA , na Filadélfia, sobre como aumentar o número de alunos matriculados. Um colega da George Mason University se juntará a mim e vamos falar sobre nossos esforços de colaboração para aumentar a Mason Online. No caso de George Mason, e para muitas outras instituições, nosso objetivo era aumentar as matrículas e lançar novos programas, apesar de orçamentos e recursos limitados. Isso cria uma necessidade imediata para fazer melhor uso do que já está em vigor e ser criativo com custos baixos e canais de alto impacto. Todas as ferramentas, recursos e precisam ser otimizados para a conversão.

Usamos o termo “Marketing de conversão” para descrever o processo de transformar os potenciais futuros alunos em alunos matriculados. Uma conversão pode ser o número de alunos que preencheram um formulário, acessaram um aplicativo, participaram de algum evento de orientação, clicou em um e-mail ou teve contato com algum conselheiro – qualquer ação que leva a realizar um objetivo específico. Em última análise, a taxa de conversão é de longe o maior indicativo da existência ou não do plano de marketing. Conhecendo o seu desempenho, você pode eliminar gastos desnecessários, maximizar seus recursos e “criar um roteiro” para aumentar o número de matrículas dos alunos.

Aqui estão 4 ações imediatas que você pode tomar para melhorar suas conversões:

1. Faça uma análise do seu site
Fazer uma avaliação honesta de seu site, dos conteúdos e da facilidade de utilização é a primeira “parada” em um caminho para melhores taxas de conversão. Pense em seu site como a porta de entrada para os futuros alunos. Ele precisa responder a três questões-chave rapidamente sobre qualquer programa, certificado ou curso que você tem a oferecer:

1) Quanto vai custar?

2) Quanto tempo vai demorar?

3) O que vou receber?

Tendo esses detalhes, juntamente com um formulário simples para solicitar mais informações, são os dois passos mais importantes na estruturação do conteúdo do seu site. E não se esqueça: seu site deve ser amigável móvel, acessível e com navegação clara!

2. Influência para conversão
A mídia social é uma ferramenta fundamental para mostrar sua marca, personalidade e conteúdo exclusivo para os futuros alunos. A maioria das escolas tira proveito de ferramentas como Facebook e YouTube para compartilhar atualizações sobre as atividades, programas e eventos. Mas a chave é assegurar que a mídia social também está agindo para realizar as “conversões”. Pense em como você pode usar os sites de mídia social para fornecer a seus seguidores informações sobre suas ofertas de programa, corpo docente e a experiência de outros alunos. É importante tratar as mídias sociais como qualquer outro componente importante no processo de gestão de matrículas e marketing.

3. Medir e melhorar
Minha equipe gosta de usar o ditado “se você vê, você pode corrigir”. Por isso, se você tem uma boa visibilidade sobre o que está acontecendo em todo o seu processo de matrículas, você pode ver o que não está funcionando como planejado. Segundo nossa experiência, esses pequenos ajustes podem realmente ajudar a aumentar o número de matrículas.

4. Seja pró-ativo e específico
Mesmo que você alcance conversão, isso não significa o final. Sua primeira troca com um potencial estudante é apenas o começo: este é o momento de ser pró-ativo e entrar em contato com esses alunos com um objetivo específico. Você tem um grande número de futuros alunos que começaram um aplicativo, mas não terminaram? Você tem um grupo de estudantes que se inscreveram previamente, mas não se matricularam no prazo? Aproveite os dados que você tem e converse com os alunos para que façam a matrícula. Além disso, campanhas de divulgação podem trazer resultados rapidamente. 

Com estas quatro etapas em mente, você estará no caminho para tornar seus esforços de marketing e de matrícula mais eficazes e eficientes. Estas técnicas são importantes principalmente nos momentos em que você precisa “fazer mais com menos”.

FAÇA UM COMENTÁRIO

IESB apresenta projeto de capacitação no uso de tecnologia para professores

Equipe IESB e Blackboard Brasil

Equipe IESB e Blackboard Brasil

 

Rodrigo Estevam, Gerente Geral de TI, e a Pró-reitora acadêmica Regina Tombini, representaram um importante case do IESB, cliente da Blackboard, em evento recente nos Estados Unidos – o BbWorld, maior evento da Blackboard no mundo, que reúne anualmente mais de 2.500 pessoas, representando cerca de 930 instituições de 28 países . Na oportunidade, os dois falaram sobre o projeto “Planejamento e Diagnóstico com Inteligência de Negócios para Aumento de Adoção de Docentes”, baseado na pesquisa sobre a forma de utilização da plataforma Blackboard pelos professores.

Rodrigo Estevam e Regina Tombini

Rodrigo Estevam e Regina Tombini

 

O IESB – Instituto de Educação Superior de Brasília, fundado em julho de 1994, tem quase 20 mil estudantes nos seus três Campus no Centro de Brasília e em nove campus de educação on-line. Tem como visão consolidar o seu prestígio como instituição que oferece educação de qualidade e como objetivo, tornar-se referência no uso de novas tecnologias aplicadas à educação. Foi o primeiro parceiro da Blackboard no Brasil – sociedade que completa mais de uma década.

Entre as estratégias usadas no projeto apresentado, estava a adoção integral de tecnologias na Educação Presencial, por parte dos professores, melhorando o processo de aprendizagem através da utilização da plataforma (Blackboard) e estabelecer a cultura de seu uso.

Para isso, foram criados 5 níveis para “avaliar” o os professores e como utilizam a plataforma:

Tradicional – Não usa nenhum tipo de plataforma, nem exemplos.
Postador, ou Uploader – Utiliza a plataforma de forma básica; Foca no upload de alguns arquivos, geralmente utilizados nas aulas presenciais; Não usa qualquer ferramenta para melhorar o aprendizado ou a sua comunicação com os alunos;
Curador – Faz upload de arquivos constantemente; Utiliza atividades para avaliação; Também utiliza arquivos, artigos, vídeos, sites, apresentações, capítulos de livros na Biblioteca Virtual; Se comunica por e-mails e notificações.
Interativo – Faz uso contínuo da tecnologia de interação com os alunos; Passa a ser um mediador do processo de aprendizagem; Os alunos discutem suas ideiais com o professor e seus colegas; O aluno passa a ser o foco central do processo de aprendizagem.
Construtor, ou Builder
Usa muito a plataforma; Constrói suas próprias estratégias pedagógicas utilizando a plataforma; Avalia os estudantes com atividades na plataforma; Usa artigos, vídeos, sites, apresentações; Se comunica de diversas formas.

Após a implantação do projeto, foi concluído que o sucesso para conseguir a adoção da plataforma devia considerar a infra-estrutura e o suporte completo para professores e alunos:

“Os professores não são auto-suficientes em tecnologia. Eles precisam de apoio. Este diagnóstico é essencial para melhorar a comunicação e o alinhamento das estratégias e objetivos. Além disso, a plataforma deve ser apresentada como um benefício para todos”, disse Estevam.

E completou:

“A parceria entre os departamentos de TI e Acadêmico é extremamente importante”.

Como ações futuras, destacou a necessidade de considerar os níveis de maturidade na promoção de docentes, além de analisar competências no uso de tecnologias educacionais, preferencialmente a Blackboard, no processo de contratação de novos docentes

Confira a palestra completa do projeto do IESB no link abaixo:
*Como a apresentação foi feita no BbWorld, nos Estados Unidos, a palestra está em inglês.
IESB – Apresentação no BbWorld 2015

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

Veja mais posts

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.