Palestras do Fórum de Lideranças falaram sobre os desafios dos professores, tecnologia e o papel do aluno na aprendizagem

Líderes e gestores de instituições de ensino se reuniram nesta quinta-feira (8), em Curitiba, para debater a educação no Fórum de Lideranças, evento realizado na Universidade Positivo.

Ryon Braga, presidente da UniAmérica, apresentou uma das palestras mais esperadas pelo público: “O estudante como protagonista da aprendizagem: o caso da Faculdade UniAmérica”. Braga afirmou que recebeu muitos pedidos de demissão por parte dos professores que não aceitavam que o modelo de ensino que conheciam ia mudar:

– O professor não vai mais ser o sábio no palco, mas sim um orientador, uma pessoa que vai levar o conhecimento para o aluno. As pessoas estão insatisfeitas com o que está aí e os jovens estão criando formas mais atraentes e entusiasmantes de aprender. Nós ainda vivemos a cultura do sábio no palco. E um grande desafio é fazer o professor deixar essa cultura de lado. A hegemonia da aula expositiva tem que ser eliminada.

Ryon citou vários exemplos que já estão sendo testados na UniAmerica e um fato que chamou a atenção de todos é que dentro do novo modelo, hoje grande parte dos alunos chega na Universidade em torno de 1 hora antes para aproveitar os recursos disponíveis para estudar. Ryon também apresentou a todos diversas imagens das salas de aulas que já utilizam o conceito de sala de aula invertida na universidade. 

Vice-Presidente Acadêmico da Kroton Educacional e Reitor da Universidade de Cuiabá, Rui Fava destacou:

– Minha preocupação é que a educação faça uma reengenharia onde queira trabalhar só com processos e deixe as pessoas, que são as mais importantes, de lado. A reengenharia faz essa invenção e muitas empresas quase faliram porque perderam suas cabeças pensantes.

E completou:

– O professor tem um papel importante e deve ensinar e usar as ferramentas. Nosso desafio é fazer com que o nosso aluno aprenda a pensar, algo que não era feito antes. Mas não adianta só pensar, ele precisa ter percepção e agir.

Matt Small, da Blackboard, apresentou a palestra “O foco no novo aluno” e falou sobre a tecnologia no ensino:

– As instituições devem focar na tecnologia, mas não sozinha, usando velhos métodos. É preciso olhar para as tendências e desafios e decidir como usar a tecnologia.

Para Pavlos Dias, Gerente da Blackboard no Brasil, a tecnologia trouxe a possibilidade de “educação 24 horas por dia”:

– Quando a internet e a mobilidade surgiram, o profissional parou de trabalhar somente as 8 horas em que estava na empresa. Como o celular passou a ser uma extensão do corpo, o trabalho passou a ser 24 horas. O aluno também pode aprender nas 24 horas do dia.

Pavlos ainda citou as tendências em educação com base no manifesto Educação 2020, da Blackboard:

* O ensino centrado no aluno;

* Análise de dados para tomada de decisões pelas instituições;

* Ampla disponibilidade de conteúdo, 24 horas por dia vindo de diversos canais;

E destacou:

– O aluno vai aprender a aprender, vai pensar mais no que está aprendendo e criar soluções e projetos.

Fotos: Daniel Derevecki

Deixe uma resposta

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.