Blackboard patrocina evento de tecnologia no Brasil

Em seu trigésimo ano, a Bett, o maior encontro global da comunidade de tecnologia da comunicação em educação, chega ao Brasil. Através de uma série de eventos de alto nível, a missão da Bett América Latina é promover a descoberta de tecnologia e conhecimento para um aprendizado permanente.

O evento acontece nos dias 31 de outubro e 1 de novembro, e a nova Cúpula de Liderança da Bett America Latina será lançada no World Trade Center em São Paulo. Este evento inaugural vai reunir os atores e tomadores de decisão dos sistemas público e privado do continente, buscando potencializar um aprendizado profundo através de TIC e inovação de ensino para atingir um maior acesso à educação.

Serão dois dias de conferência, incluindo apresentações durante a manhã, oficinas durante o almoço, discussões a tarde e sessões de intervalo. A conferência de nível internacional, apresentará uma agenda relevante e inovadora. Um dos dias contará com o Fórum de Desenvolvimento Profissional de Professores e os participantes terão uma oportunidade única de conhecer e aprender com os especialistas mundiais que lideram a área de tecnologia da educação.

A Blackboard tem o orgulho de poder patrocinar este evento, que trará inovações para a área da educação e tecnologia na América Latina.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Ciclo de Debates Desafios da Educação chega ao Rio de Janeiro

O que é preciso para ensinar em um mundo cada vez mais conectado?

No próximo dia 23, acontecerá no Everest Rio Hotel, em Ipanema, no Rio de Janeiro-RJ, o Ciclo de Debates Desafios da Educação. O evento que irá reunir líderes e gestores de instituições de ensino, tem como objetivo, além de responder esta questão, debater sobre tecnologia e educação. A ideia é levar a discussão para os especialistas, os quais podem compartilhar suas experiências inovadoras.

Promovido pela Blackboard Brasil e pelo Grupo A – representante exclusivo da marca no país, o Ciclo de Debates busca construir novas formas de entender e atender as necessidades e os anseios de um aluno conectado e cada vez mais ativo no processo de aprendizagem.

Confira a programação que irá se estender durante toda a manhã do dia 23 de outubro, e que irá contar com a presença de três palestrantes:

8h- Credenciamento
Entrega do material e café da manhã

8h30- Palestra de Abertura
Representante de uma instituição, líder no mercado educacional

9h15- Caso Blackboard
Caso prático da implementação das soluções Blackboard em uma instituição de ensino

10h- Intervalo
Networking
Será oferecido um coffee break para os participantes

10h30- Educação em um futuro não tão distante
Tendências em tecnologia e educação

11h- Painel de Debates
Discussão do tema em conjunto com os palestrantes e participantes

12h- Encerramento
Agradecimento da presença

As vagas para o Ciclo de Debates Desafios da Educação são limitadas: garanta a sua, inscreva-se!

FAÇA UM COMENTÁRIO

Confira o que foi discutido no Fórum Desafios da Educação

Como engajar o aluno multimídia em sala de aula?
Como tornar o ensino divertido?
Quais são as tendências para o futuro da educação?

Estas e outras questões foram discutidas no Fórum Desafios da Educação, que aconteceu semana passada em São Paulo. Mais de 200 líderes, gestores e professores encontraram-se na Universidade Anhembi Morumbi para compartilhar suas ideias sobre o futuro do ensino, suas experiências dentro e fora da sala de aula e muita inspiração. Confira uma breve recapitulação feita pelo Blog Desafios da Educação sobre tudo o que foi discutido no evento:

Como construir uma nova educação?
Felipe Anghinoni, um dos fundadores da escola de atividades criativas Perestroika, abriu o Fórum discutindo as vertentes fundamentais da educação do futuro:

1. Tecnologianotebookstabletssmartphones. Aplicativos, games, aulas online. Você consegue imaginar uma sala de aula sem o uso de tecnologia, hoje? Além dos dispositivos, Felipe argumentou que a nova educação irá contar também com a ajuda de análises de desempenho dos alunos para customizar suas rotas de aprendizagem.

2. Descentralização: estudantes ensinando outros estudantes. Professores aprendendo com alunos. A escola do futuro não é mais só de um para muitos, mas também funciona em uma estrutura de rede, com diferentes pontos de contato.

3. Personalização: nem todo mundo aprende da mesma forma. Alguns são mais visuais, outros preferem anotar. Em breve, a educação será cada vez mais customizada para atender as necessidades de cada aluno.

4. Experiência: as aulas puramente expositivas já não são mais suficientes para a Geração Y – os jovens querem ser conquistados também pela emoção. Aqui, vale a máxima de Confúcio:

Diga-me e esquecerei. Ensina-me e aprenderei. Envolva-me e entenderei.

5. Narrativa: ensinar por meio de histórias, o chamado storytelling, é uma forma eficiente de instigar alunos totalmente conectados ao mundo visual.

6. Gameficação: assim como as histórias, os games, com os seus badges, suas fases, seufeedback constante, conseguem divertir e ensinar ao mesmo tempo.

Felipe acredita que não há um modelo único para o sucesso do ensino do futuro.

7. Desescolarização: reaprender a aprender. Essa é a ideia da desescolarização, movimento que defende que a escola e a universidade não são os únicos locais para adquirir conhecimento.

8. Da escola para a vida: como ser um bom amigo? Como lidar com os seus filhos? De que forma as mulheres podem se empoderar? Felipe Anghinoni acredita que a escola do futuro precisará tratar também de temas corriqueiros da vida.

Aprender errando: o uso de games no ensino
Segundo palestrante do dia, João Mattar, professor da Universidade Anhembi Morumbi, compartilhou com os participantes do Fórum um pouco do seu vasto conhecimento sobre a utilização de games em sala de aula. Para o pesquisador, os jogos são uma estratégia eficiente de ensino porque, além de envolver os alunos, também ajudam a desmistificar os erros.

“Ninguém joga games com medo de errar. Errando a gente aprende.”

No modelo tradicional de ensino, o erro é punitivo. Com os games, o erro torna-se parte fundamental do processo de aprendizagem. Em uma apresentação rica e cheia de exemplos, João Mattar enfatizou que jogos não são apenas mais um recurso pedagógico para as aulas. Eles representam, principalmente, uma nova forma de entender e organizar todo o sistema de ensino. Gameficar uma aula não é apenas usar um jogo, mas mudar toda a estrutura de ensino para que os alunos tenham feedback constante, aprendam em diferentes níveis e conforme a sua capacidade. Um desafio e tanto!

Seis tendências para a educação do futuro
Katie Blot, vice-presidente da Blackboard e última palestrante da manhã, conversou com o público sobre as principais tendências para o futuro do ensino. Katie, que já trabalhou como CIO para o Federal Student Aid nos Estados Unidos, destacou seis pontos fundamentais que irão transformar o modo como ensinamos e aprendemos:

Katie defende que as Instituições devem experimentar com novas tecnologias.

Educação global: que tal aprender inteligência artificial com um professor de Stanford? Ou ter aulas de matemática no MIT? Por meio dos cursos online abertos e massivos, os chamados MOOCs, é possível assistir a aulas de qualquer parte do mundo.

Estudantes não tradicionais: copiar a matéria do quadro-negro? Ficar sentado, passivo, enquanto ouve o professor explicar a disciplina? Essas técnicas já estão ultrapassadas para os estudantes de hoje, que querem participar, interagir e contribuir para a sua própria aprendizagem.

Modelos alternativos de consumo: consumo colaborativo e espaços de coworking já são práticas comuns no mundo dos negócios. Nos próximos anos, a expectativa é que modelos alternativos de consumo também avancem no setor da Educação.

Ensino centrado no aluno: em vez de focar apenas no conteúdo a ser transmitido, o ensino do futuro se preocupará cada vez mais em atender e envolver os estudantes multimídia.

Big data: dados quantitativos e qualitativos sobre como aprendemos serão essenciais para moldar a sala de aula do futuro e customizar cada vez mais o ensino para atender aos diferentes perfis de estudantes.

Mobilidade: ensino a qualquer hora, em qualquer lugar. Os alunos de hoje buscam uma sala de aula expandida, disponível não apenas nos horários padrão.

Workshops e cases
Durante a tarde, os participantes puderam escolher entre três workshops para aprofundar o debate sobre os desafios da educação: Orlando Júnior, da Kroton, compartilhou sua experiência sobre como produzir conhecimento em larga escala sem perder a qualidade; Ana Karin Nunes, da Feevale, mostrou suas técnicas bem-sucedidas para engajar os professores no uso de novas tecnologias; e José Trinta, do IBMEC, divulgou os métodos que a sua Instituição emprega para internacionalizar o conhecimento.

As últimas palestras do dia ficaram por conta de Janes Tomelin, professor da Anhembi Morumbi, e Roberto Paes, diretor da Fábrica de Conhecimento da Estácio. Janes e Roberto apresentaramcases sobre como suas Instituições lidam com as dificuldades e inovações promovidas pelo ambiente de ensino digital.

Janes Tomelin aproximou-se do público para compartilhar suas experiências.

Roberto Paes mostrou como garante a qualidade de ensino entre as diferentes unidades da Estácio.

Após mais de sete horas de palestras, conversas e discussões, o Fórum mostrou a importância de compartilharmos nossas experiências e nossos desafios para, juntos, idealizarmos e construirmos o futuro da Educação. Ainda há muito o que aprender, mas o caminho já está trilhado, como afirmou o participante Rafael Mota, do Mackenzie:

“O Fórum ajudou a demonstrar que todos estamos juntos no mesmo processo, uns mais avançados, outros começando, mas todos aprendendo como revolucionar algo que ainda está ligado às raízes originais.”

E que venham os próximos Desafios da Educação!

Fonte: Desafios da Educação

 

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

Fórum Desafios da Educação em São Paulo

Você sabe qual o seu papel no futuro da educação?

No dia 14 de agosto, na Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo, acontece o Fórum Desafios da Educação. O evento promovido pelo Grupo A e Blackboard Brasil, é uma iniciativa voltada a líderes e gestores de Instituições de Ensino Superior, com o objetivo de discutir práticas e compartilhar ideias e experiências em educação, apontando melhorias para um futuro próximo.

Como formador de opinião e pensador sobre o futuro da educação, sua presença é essencial, afinal, a educação do futuro só será construída com inovação e muito diálogo.

Confira a programação do Fórum que irá contar com especialistas no assunto em palestras, debates e workshops:

8h Credenciamento e Welcome Coffee

9h Abertura do evento
9h30 A Nova Educação
10h Games em Educação: como os nativos digitais aprendem
10h30 Coffee Break / Networking
11h Tendências para Tecnologia e Educação
11h30 Painel de Debate
12h30 Brunch / Networking
12h30 – 14h Credenciamento no Workshop
14h – 15h Sessão simultânea de workshops:
• Como produzir conhecimento sem perder a qualidade?
• Internacionalização do Conhecimento
• Engajamento dos Professores no Ambiente de Aprendizagem
15h30 Coffee Break / Networking
16h – 16h30 Tecnologia e Metodologia na Mediação dos Processos Educativos a Distância: O caso da Anhembi
16h45 – 17h15 Modelo de Ensino e Fábrica do Conhecimento: O caso da Estácio
17h30 Encerramento
 
Uma oportunidade para você:

1. Dialogar com especialistas em Educação e Tecnologia.
2. Conhecer o que há de mais inovador em pedagogia e tecnologia educacional.
3. Ajudar a construir a educação do futuro alinhada com as necessidades atuais.

As vagas para o Fórum Desafios da Educação são limitadas: garanta a sua, inscreva-se!

FAÇA UM COMENTÁRIO

Campus Party Recife 2013


Aconteceu ontem a abertura do Campus Party Recife 2013, evento focado em inovações na área da tecnologia, internet e entretenimento eletrônico. O encontro que está sendo realizado no Chevrolet Hall e no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife se estende até domingo, 21 de julho.

Listamos as principais palestras e debates que estão na programação do evento, que tratam de temas como o uso das redes para a educação cidadã, empreendedorismo, games e aprendizado e REA (Recursos Educacionais Abertos).

Quem não está presente no evento, pode acompanhar o que acontece por lá pelo Twitter da Campus Party (@campusparty) e a hashtag oficial (#campusparty). As palestras estarão disponíveis, ao vivo, pelo Campus Channel.

Confira a programação:

18 de julho
14:15h – 15:30h: Fórum Apps de Cidadãos para Cidadãos– vai discutir como a tecnologia e a comunicação podem viabilizar soluções para o dia a dia das pessoas. Entre os palestrantes estão Eugenio Antunes, diretor presidente da Emprel e Gustavo Maia, co-fundador da Colab.
15:45h – 16:45h: Jogos Educativos: novos rumos para o ensino- nesta palestra será discutida como os jogos educativos são uma possível solução no aprendizado e de que forma eles podem dar novos rumos ao ensino. Ricardo Costa – Engenheiro de Computação e Mestre em Computação Gráfica pela PUC-Rio, atua como professor no Instituto de Tecnologia ORT e é co-fundador da empresa Magistral Game Studios.
15:45h – 16:45h: Empreendedorismo – Comportamento empreendedor faz toda a diferença– serão resumidas as dez características empreendedoras que fazem a diferença na hora de iniciar um negócio. A palestrante Conceição Moraes é mestre em Gestão Empresarial e atua há catorze anos no SEBRAE/PE, promovendo cursos e consultoria.
20:15h – 21:15h: Smart Cities x Smart Citizens: o segredo está na tecnologia ou nas pessoas?- os participantes vão discutir se a realização de Smart Cities deve focar nas mudanças na cidade ou no pensamento dos cidadãos.
20:15h – 21:15h: REA – Recursos Educacionais Abertos – do conceito à ação- entenda o que são Recursos Educacionais Abertos, desde o seu conceito até as permissões que estão no cenário. A palestrante Salete Farias Almeida é formada em Ciência da Computação pela UFMA e mestre em Engenharia de Eletricidade – Área Ciência da Computação – pela UFMA.
20:15h – 21:15h: Empreendedorismo – Aprender a Empreender- conheça as experiências de educação empreendedora da região, o que é ensinado e por que elas são essenciais se queremos tornar o Brasil uma referência internacional no cenário de startups. Irá contar com diversos palestrantes da área da educação
21:30 – 22:30 Jogos contra o Crack- apresentação de games que contribuem para a formação de cidadãos por meio da educação. O palestrante Breno José Andrade de Carvalho é designer, professor e coordenador do curso de Jogos Digitais da Universidade Católica de Pernambuco.

19 de julho
11:15h – 12:30h: Criatividade: De onde vem? Para onde vai? Do que se alimenta?- o palestrante Edney Souza, um dos fundadores da primeira rede de blogs do Brasil, vai falar sobre maneiras de expandir a mente e usar cada vez mais a criatividade.
15:45h – 16:45h: Celulares, mobilidade e currículo nas escolas das redes públicas de ensino – encontro possível?- conversa sobre juventude, cultura digital e mobilização de dispositivos móveis a favor de aprendizagens propostas nos currículos das redes públicas. Palestrante: Ghisleine Trigo Silveira Licenciada em Biologia e Pedagogia, com Mestrado e Doutorado pela Universidade de São Paulo – Faculdade de Saúde Pública.
10:00h – 11:00h: Metarreciclagem, robótica e educação: como isso se conecta?- entenda como robôs podem ser construídos por qualquer pessoa por meio do uso de lixo tecnológico e como a robótica pode trabalhar novas formas de ensinar nas escolas. O palestrante Marcos Egito Isaac Ferreira é técnico em Inclusão digital.

20 de julho
13:00h – 14:00h: Dale Stephens- o fundador do movimento Uncollege, Dale Stephens, vai falar sobre sua perspectiva sobre o futuro da educação que, segundo ele, não vai ser dentro das escolas. Para ele, o aprendizado pode estar em qualquer lugar, a qualquer momento.
14:30h – 15:30h: Games e sociedade- quando o entretenimento vira cultura- a discussão, que terá a presença de João Coscli, jornalista especializado em games, vai tentar entender como chegamos até aqui e para onde vamos com a presença cada vez maior das tecnologias e dos jogos.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Veja mais posts

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.