Mais do que games

Durante um evento de Games realizado em São Paulo em dezembro de 2011, foram mostrados alguns exemplos de como jogos podem auxiliar o aprendizado dos alunos, como soluções eficazes para a educação no futuro.

Mas como isso pode funcionar?

Por exemplo, para ensinar história e geografia, poderiam ser usados jogos ambientados em locais como o Oriente Médio, a Grécia ou a Roma Antiga, entre outros. Ou, ainda, para entender o desenvolvimento sustentável, poderia ser aplicado um jogo que permite o controle da construção da cidade.

O coordenador do Games for Change (G4C), defende a utilização dos jogos eletrônicos como ferramentas para educação e conscientização social.

Mas não é só isso, em setembro do mesmo ano, participantes do jogo online Foldit mostraram que os jogos também podem servir à ciência na solução de problemas. Os jogadores do Foldit, que permite que os jogadores definam estruturas de moléculas de proteínas, conseguiram resolver um problema que há décadas desafiava cientistas.

Após anos tentando encontrar uma maneira de conseguir montar a estrutura da enzima de um vírus semelhante ao da AIDS, sem sucesso, os cientistas resolveram desafiar os jogadores a fazer um modelo preciso desta. O resultado foi surpreendente: em apenas três semanas já havia um protótipo.

A solução deve auxiliar os esforços para encontrar medicamentos para combater o vírus HIV, já que essa enzima tem papel fundamental na forma como o vírus amadurece e se prolifera.

Uma demonstração de que os jogos podem ser muito mais do que apenas diversão.

Fonte: Universia e TechNinja

FAÇA UM COMENTÁRIO

Utilizando o Youtube em sala de aula

Mais de 3 bilhões de vídeos são vistos todos os dias no youtube. Mas como usar essa tecnologia na sala de aula?

Partindo do princípio de que a utilização da tecnologia torna o processo de aprendizagem mais fácil e da ideia de as aulas funcionarem como o Youtube, o pesquisador de novas mídias em educação, Terry Heick, sugeriu mudanças no modo de ensino, são coisas simples, que não exigem mudanças radicais.

Aliado aos livros, que exigem concentração, leitura profunda e resistência intelectual, ele indica a utilização do mecanismo de busca baseado no Google e Youtube. Além disso, é interessante tornar a aula divertida, já que todos gostam de rir. Outra dica é fazer vídeos simples e divertidos no Youtube, facilitando o aprendizado.

Procurar a forma mais simples e clara de ensinar uma matéria, já que, assim como no youtube, na sala de aula há uma grande diversidade de conteúdo. Apresentar conteúdos de maneira criativa e interdisciplinar também pode ajudar, mesmo que as ideias pareçam pouco convencionais, elas podem funcionar, já que os alunos compreendem com mais facilidade o conteúdo quando associado a algo conhecido.

Fonte: Universia

FAÇA UM COMENTÁRIO

Fórum traz ao Brasil especialistas do mundo todo para debater aplicabilidade de novas tecnologias na educação

Blackboard Fórum de Educação abre espaço para professores, aficionados por tecnologia e educadores questionarem a influência que novos meios e novas plataformas exercem no aprendizado

Tablets, celulares e incontáveis redes sociais fazem parte do cotidiano dos estudantes hoje. Pesquisas mostram que, nos Estados Unidos, o uso de smartphones entre estudantes do ensino médio triplicou desde 2006. Além disso, os alunos de lá têm utilizado meios como o Google Docs, por exemplo, para trocar anotações de aulas e resolver trabalhos em grupo. No Brasil, o aumento de cursos a distância revela um investimento crescente em tecnologias para a educação. Mas será que estamos no caminho certo? Para responder a essa e tantas outras perguntas acerca do futuro da educação, a Blackboard (multinacional especializada em tecnologia para educação e representada, no Brasil, pelo Grupo A) promove no próximo dia 12 de abril o Blackboard Fórum de Educação.
“A experiência educacional evoluiu muito. Hoje os alunos não se contentam mais com lousas e cadernos na sala de aula apenas. Eles aprendem a todo instante, por meio celulares, notebooks, tablets… Já existem plataformas que facilitam esse novo processo de ensino para os professores e é sobre isso que o Blackboard Fórum vai tratar”, explica Bruno Weiblen, gerente da Blackboard no Brasil.
A possibilidade de atingir alunos em diferentes locais também é bastante atrativa. Nesse sentido, saber como o mundo tem utilizado essas tecnologias que possibilitam dar aulas sem um espaço físico restrito pode ser um caminho para que as instituições brasileiras se adaptem a essa nova realidade de aprendizado. Por isso o Blackboard Fórum de Educação vai contar com a presença de professores e especialistas de todo o continente americano. “Teremos colombianos, mexicanos, americanos e brasileiros explicando como já têm usado com sucesso novas plataformas dentro e fora da sala de aula”, afirma Weiblen.
Universidades como a Javeriana e a UCC da Colômbia, a Monterrey do México, a ESPM, a Universidade Cruzeiro do Sul  e o Senac do Brasil têm tido sucesso ao incluir novas tecnologias nos planos de aula e vão apresentar cases das melhores práticas de digitalização do aprendizado. Os vice-presidentes da Blackboard mundial também irão apresentar soluções de inclusão da tecnologia em todo o ciclo de aprendizado (do ensino à avaliação), além de abordarem a utilização de dispositivos móveis como facilitadores da comunicação entre a instituição e o aluno. O Fórum Blackboard de Educação será realizado no dia 12 de abril, a partir das 8h, na ESPM. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo site: blackboard.grupoa.com.br
Serviço:
– Fórum Blackboard de Educação
– Quando: 12 de abril de 2012
– Onde: ESPM – Auditório Renato Castelo Branco, Campus Professor Francisco Gracioso (Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 – Vila Mariana, São Paulo)
– Horário: das 8h às 18h
– Inscrições: Gratuitas, pelo site: blackboard.grupoa.com.br
 Programação:
08h30 – Recepção e credenciamento
09h05 – Abertura
09h40 – Blackboard Learn 2012: Como o Blackboard Learn oferece suporte a todo o ciclo de aprendizagem.
10h20 – BlackBoard Mobile: o campus no seu bolso. Acesso a qualquer hora e local.
11h05 – Coffee Break
11h30 – Cada vez mais perto – Implementação e uso do Blackboard Collaborate na Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá.
12h20 – Inovação no Campus Virtual Cruzeiro do Sul: da educação básica ao ensino superior
13h – Almoço
14h35 – Plataforma Blackboard para transformação Acadêmica – Caso Universidad Cooperativa de Colombia (UCC)
15h20 – Uso do Blackboard no Tecnológico de Monterrey: experiências após 12 anos.
16h10 – Estudo de Caso: Atualização do Blackboard no Senac e migração da solução para o Managed Hosting
16h50 – Encerramento
17h10 – Coquetel

 

Publicação: Brsa

FAÇA UM COMENTÁRIO

Veja mais posts

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.