Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA): Tecnologia garante o sucesso dos alunos

ambiente virtual de aprendizagem - ava
Foi percorrido um longo caminho desde o momento em que um sistema de gestão de aprendizagem se transformou em uma ferramenta de gerenciamento de cursos, permitindo que os alunos se inscrevessem nas aulas e ajudando os administradores e instrutores a manterem o controle da rotina escolar ou acadêmica. Com o tempo, os Learning Management Systems (LMS) ou, em português,
Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) evoluíram, incluindo recursos importantes como entrega e gestão de conteúdo, avaliações, acompanhamento financeiro, elaboração de relatórios, entre muitos outros.

A educação a distância se expandiu, e as melhores soluções AVA estavam lá para apoiar os alunos, instrutores e instituições que estavam à frente. O mesmo vale para a revolução do dispositivo móvel: as ferramentas de ponta se adaptaram e deram suporte para o desenvolvimento do ensino utilizando também as plataformas móveis.

__

Leia também:

>> Como o LMS colabora para o sucesso do curso a distância

 

A tecnologia avança e, conforme surgem novas oportunidades de se utilizar ferramentas inovadoras dentro de um contexto de aprendizagem, as soluções AVA continuarão a evoluir para se tornar um ambiente cada vez mais abrangente.

Evolução das soluções AVA

A evolução contínua das soluções AVA é uma boa notícia para as faculdades e universidades, onde o sucesso do aluno é cada vez mais ligado a quanto a instituição inclui a tecnologia em seus cursos.

Isso também significa que, com a tecnologia disponível para colaborar com bom desempenho do aluno, há dezenas de opções a serem consideradas pelos administradores e reitores. Portanto, escolher uma solução AVA multifacetada se torna muito mais desafiador do que simplesmente comprar um produto com uma única finalidade.

Quando se trata de Ambientes Virtuais de Aprendizagem, não há como escolher clicando em um produto e o adicionando a seu carrinho de compras via site. A tarefa inclui muito mais fatores a serem considerados, já que diversos fornecedores investem em aprimoramentos contínuos para expandir e refinar as ferramentas tecnológicas, tornando-o um ambiente de aprendizagem integrado e completo, colaborando com praticamente todos os aspectos da educação.

ambiente virtual de aprendizagem - AVA

Muito além dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem tradicionais

A avaliação do AVA que melhor atende a sua instituição está diretamente ligada às suas metas e estratégias. Porém, alguns pontos são comuns entre todas as faculdades e universidades: fornecer a melhor experiência educacional, alçando os alunos para posições de sucesso.

As soluções mais modernas combinam AVAs tradicionais com capacidades que permitem, entre outras coisas:

  • Colaboração entre alunos em projetos de classe;
  • Interação com seus instrutores fora da sala de aula (por exemplo, encontros durante horas de escritório virtual);
  • Funções administrativas, como registro de curso;
  • Suporte técnico utilizando os dispositivos e ferramentas sociais usuais;
    Aumento das ofertas de cursos em tempo real com o ensino a distância síncrono (quando professor e aluno estão na sala de aula virtual ao mesmo tempo);
  • Que faculdades e universidades encontrem uma plenitude de dados obtidos na ferramenta, podendo melhorar os resultados educacionais e desempenho financeiro.

Assim, quando se trata de escolher uma solução AVA, há muito a se considerar. Você vai querer se certificar de que o caminho escolhido não atende somente às necessidades da instituição, mas também antecipa a futura direção do ensino superior. E, acredite, isso vai muito além da utilização de um par de ferramentas tecnológicas.

Ainda tem dúvidas? Veja como a tecnologia pode contribuir para o aumento do número de alunos de sua instituição.

FAÇA UM COMENTÁRIO

3 dicas para personalizar o e-learning para os estudantes

3 dicas para personalizar o e-learning para os estudantes

Pense por um momento sobre sua experiência de ensino superior. Como você aprendia com o material, quando estava matriculado como estudante de graduação? Como os materiais de curso e palestras de seus instrutores colaboraram para que você tirasse o melhor proveito de uma determinada disciplina? Que recursos foram fornecidos que o ajudaram a estudar para as provas? Que cursos você sentiu que foram personalizados para você?

Sem dúvida, nem todo o material da graduação foi fácil de entender. E isso se reflete no aprendizado: você pode ter sentido que não absorveu tudo o que podia com base nesses conteúdos. Acontece com todos os estudantes.

Se o professor refletir sobre como aprendeu – e sobre o que não funcionou para ele – vai poder perceber que nem todos têm a mesma experiência de aprendizagem e que nem todos aprendem da mesma forma.

Apesar disso, existem literalmente dezenas de sites que apresentam as definições de estilo de aprendizagem e o que as difere. Não é possível utilizar todos os estilos em um mesmo curso. Em vez disso, que tal fornecer conteúdo de forma personalizada aos estudantes para ajudá-los, individualmente, em seus próprios estilos de aprendizagem?

Veja como é possível, no e-learning, personalizar os materiais para que o estudante consiga absorver todo o seu conteúdo.

>> O LMS e o sucesso do curso a distância

1 – Fornecer conteúdo em diferentes formatos

Muitos professores utilizam o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) como um repositório de plano de estudo, notas, tarefas e exames. No entanto, o e-learning possibilita mais do que apenas publicar resumos e avaliações, especialmente com estudantes de diferentes locais, disciplinas e, mais importante, estilos de aprendizagem. Por isso, é importante incorporar técnicas diferentes e oferecer conteúdos em formatos variados nos cursos online.

Em cadeiras mais práticas, por exemplo, é possível incluir as anotações sobre as aulas e, simultaneamente, uma lista de vídeos relacionados ao conteúdo do capítulo que está sendo apresentado. Detalhar o conteúdo com exemplos relacionados aos temas serve como complementação ao material abordado. Dessa forma, os alunos podem aprender lendo, vendo, ouvindo, revisão ou praticando em seus próprios projetos seguindo os modelos.

2 – Fornecer feedback detalhado e pessoal

Produzir comentários individuais sobre cada projeto e dar feedbacks adaptados para cada aluno valoriza seu esforço e colabora para seu aperfeiçoamento. Exalte os pontos fortes e indique onde erraram – somado a sugestões de modificações para garantir o sucesso futuro.

Além disso, muitas vezes um aluno entrega um trabalho incompleto ou abaixo do padrão porque acredita que era o suficiente para completar o problema. Ao fornecer um feedback detalhado e pessoal, o professor consegue colaborar com aquele que não compreendeu completamente o problema. Ele deve ser construtivo e positivo, visando apoiar a aprendizagem, ainda que seja apontando os erros.

Saiba como fazer um feedback eficiente.

3 – Dar apoio aos estudantes que não estão se encontrando

É possível, ainda, personalizar a experiência para aqueles alunos que parecem não ter se encontrado com os conteúdos e conceitos, a fim de ajudá-los. Mesmo que exija um pouco de tempo extra, colaborar para que estudantes tenham sucesso quando todo o resto não parece estar funcionando vai valer a pena.

Nos cursos presenciais, é possível chamar o aluno em seu escritório e ajudá-los durante o expediente. Com as ferramentas de colaboração e vídeo online, como o Blackboard Collaborate, pode-se ligar para os alunos em suas salas de aula online e proporcionar uma conversa olho no olho, uma sessão de trabalho colaborativo ou um encontro para tirar dúvidas. Reconhecer o esforço e ajudar enquanto eles estão lutando pode ser a motivação que faltava.

Artigo traduzido e adaptado de Brian Morgan, presidente e professor associado do Departamento de Ciência e Tecnologia Integrada da Universidade Marshall. Publicado originalmente no blog da Blackboard Internacional.

Leia também:

>> Como garantir o sucesso dos alunos nos cursos online

>> Veja como estudantes bem-sucedidos usam o Ambiente Virtual de Aprendizagem

FAÇA UM COMENTÁRIO

Como aumentar o número de estudantes na sua instituição de ensino

como aumentar matrículas

Quando a proposta é aumentar o número de matrículas na sua instituição de ensino, é importante fazer um diagnóstico dos canais de comunicação que já fazem parte do seu mix de marketing antes de partir para novas ferramentas. Devem fazer parte dessa análise crítica o site da instituição, assim como o conteúdo das suas redes sociais e todos os outros pontos de contato com o público. O objetivo é otimizá-los para a conversão de novos estudantes.

A gestão das inscrições em universidades e escolas envolve o conceito chamado de Marketing de Conversão. E, no caso das instituições de ensino, uma conversão pode ser o preenchimento de um formulário do site, a participação em um evento com foco em orientação de carreira ou o envio de um e-mail solicitando informações sobre os cursos, por exemplo. Ou seja, ações de prospects — estudantes potenciais — dentro dos objetivos da instituição, concluindo metas específicas. A matrícula no curso, portanto, pode ser vista como a conversão final.

Entender as taxas de conversão ao longo do processo até a inscrição do aluno no curso é fundamental para que você entenda como está a performance do seu plano de marketing e gestão de inscrições. Compreender quais os gaps em cada etapa das conversões irá ajudá-lo a eliminar gastos desnecessários, maximizar recursos e entender em detalhes o processo de aquisição de novos estudantes.

Veja ações imediatas que podem ajudá-lo a melhorar as conversões da sua instituição:

1. Mergulhe no site da instituição

Fazer uma análise honesta do seu site, levando em conta o conteúdo disponível e a usabilidade é a primeira etapa para melhorar suas taxas de conversão. Afinal, ele é a porta de entrada para seus estudantes potenciais.

O site precisa responder a três questões básicas sobre qualquer curso, certificação ou programa:

  • Qual o valor?
  • Qual a duração?
  • Quais os benefícios para o aluno?

Ter esse detalhamento junto com um formulário — fácil de ser visualizado — para que o aluno possa solicitar mais informações é um passo primordial para estruturar seu conteúdo de forma adequada. Na sequência, verifique se conteúdo e títulos dos cursos possuem palavras-chave relevantes para que sejam encontrados em pesquisas nos buscadores como o Google.

Ainda, não se esqueça de que o site da instituição precisa estar adaptado para acesso via smartphones e desenvolvido seguindo as melhores práticas de usabilidade: acessível para pessoas com necessidades especiais, com navegação intuitiva, compatível para diferentes navegadores, entre outros importantes requisitos técnicos.

>> Como escolher o melhor LMS?

2. Impulsione conversões nas redes sociais

As redes são cruciais para sua estratégia de marca. São as vitrines da personalidade da sua instituição e do seu conteúdo único, que poderá atrair mais prospects. Muitas universidades utilizam o Facebook e o YouTube, por exemplo, para divulgar atualizações sobre atividades, cursos e eventos. A chave, contudo, é garantir que as redes também estejam trazendo conversões.

Você pode utilizá-las para levar aos seguidores informações sobre os cursos e compartilhar experiências dos estudantes, mas vá além disso. Planeje como você pode fazer com que esse seguidor ou aluno em potencial realize uma ação.

Por exemplo, de um vídeo ou post no Facebook, você pode levá-lo para uma página que tenha um formulário para registro em um evento ou para download de um e-book. Com isso, você terá conquistado o contato de um potencial estudante para posterior comunicação ou ligação.

O importante é pensar as redes sociais em sintonia com os seus indicadores de performance. Para isso, utilize ferramentas para monitorar seu desempenho. Existem inúmeras no mercado, como HootSuite (monitoramento de redes), Bit.ly (encurtador de URLs, que você poderá usar para mapear os links utilziados nas redes), Google Analytics (ferramenta de análise para ver como os usuários se engajam com seu site) e Google Trends (para análise de tendências macro).

3. Monitore e aprimore

Ao ter uma boa visibilidade de tudo o que acontece no funil de conversão do aluno até a finalização com a inscrição no curso, você poderá compreender o que está dando certo e onde ainda pode melhorar. Quando você tem acesso aos dados, consegue diagnosticar os problemas e contorná-los.

Por isso, é imprescindível compreender em detalhes cada etapa de conversão — da visualização de um simples formulário de contato até a matrícula propriamente dita — para garantir que seus esforços estão dando certo. Assim, você terá como mapear as falhas no funil e endereçar os ajustes de forma mais assertiva.

4. Seja pró-ativo e específico

Garantir a primeira conversão no início do funil é apenas a primeira etapa. É preciso instigar e conquistar esse potencial aluno para que se matricule no curso. E dependerá de você ser pró-ativo, criativo e específico em suas necessidades.

Você tem uma lista de prospects que iniciaram um processo de conversão com o preenchimento de um formulário, mas não foram adiante com a inscrição? Se a resposta é não, você precisa mapear esse banco de dados. Se sim, quais foram as suas ações para tentar convertê-lo a estudante? Você tem uma estratégia de e-mail marketing? Quais foram os que e-mails que tiveram melhor engajamento?

Há nos seus registros os contatos de estudantes que não se inscreveram em novos semestres? Pode ser válido o contato com eles para compreender o que aconteceu: quais os motivos da desistência?

E-mails, mensagens, ligações. Existem inúmeras formas de entrar em contato com os estudantes para instigá-los a seguirem no funil de conversão. Agora, cabe a você realizar testes, monitorar e aprimorar os esforços para que o processo de matrículas na sua instituição de ensino seja cada vez mais efetivo e eficiente.

FAÇA UM COMENTÁRIO

4 verdades sobre como o uso de dados favorece o sucesso dos alunos

uso-de-dados-educacao

Os dados são, sem sombra de dúvidas, ferramentas importantes que ajudam a alcançar objetivos em instituições educacionais. O uso dessas informações pode ser direcionado tanto para decisões gerenciais quanto para o auxílio dos estudantes na escolha de seu próprio caminho. A proposta fundamental é transformar dados em ações. Veja como essas informações podem colaborar para o sucesso dos estudantes:

1. Colaboração entre universidades gera ganhos para os estudantes

Cada universidade possui especificidades, conhecimentos e informações. Imagine, então, como os alunos poderiam ser beneficiados se as instituições compartilhassem suas experiências como gestoras de educação.

A colaboração entre universidades poderia promover inovação em maior escala, uma verdadeira difusão de aprendizado. Isso porque, muitas vezes, as instituições possuem projetos pilotos e experimentos relacionados a serviços, disciplinas, entre outros, cujos insights, sucessos e falhas poderiam ser compartilhados para contribuir com o crescimento de todo o segmento.

2. Com dados em tempo real, é possível criar interações e atingir resultados

Os dados gerados em plataformas de ensino permitem que gestores consigam mensurar a performance das instituições e mapear o engajamento e sucesso dos alunos. Com as informações coletadas, você pode analisar quais são os maiores gaps de comunicação entre alunos e tutores, por exemplo.

Ainda, tem a possibilidade de melhorar a integração entre os diferentes níveis e departamentos na própria instituição.

3. É preciso estar disposto a mudanças

A compreensão dos dados também mostra onde a sua instituição precisa de mudanças. Quais são os anseios dos estudantes? Você precisa compreendê-los. E, para alcançar isso, os dados serão importantes norteadores.

Contudo, as instituições de ensino também precisam estar dispostas a seguir o que os estudantes almejam – e portanto, abertas a mudanças. Sempre com direcionamentos bem estruturados para que não se perca o foco.

4. Ter em mente a finalidade da formação do aluno é fundamental

Além de contribuir para a instituição de ensino na formação dos estudantes, os dados também auxiliam gestores e tutores para que possam orientar os alunos visando o seu futuro após a finalização dos cursos. Afinal, o preparo para o mercado de trabalho deve começar durante a graduação, e a instituição deve se fazer presente também com orientações e conselhos. Outra etapa em que os dados podem ser colocados em prática.

FAÇA UM COMENTÁRIO

O LMS e o sucesso do curso a distância

lms-educacao-a-distancia-blackboard

Alinhar os objetivos da sua instituição a um bom LMS (Learning Management System) – ou AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) – pode garantir o sucesso do seu curso a distância. Em uma plataforma de e-learning qualificada, alunos encontram aprendizados personalizados, adaptados às suas necessidades e rotinas. Rompendo limites físicos, as plataformas de ensino online democratizam a educação e permitem que estudantes acompanhem as aulas de qualquer parte do mundo.

Além de disponibilizar todo o material do curso de EAD, as plataformas LMS também dão suporte a alunos e se transformam em canais de comunicação com professores. Permitem, ainda, que todo o conteúdo do curso seja adaptado para diferentes formatos e mídias, como vídeos e infográficos. Algumas opções também permitem a realização de webconferências, proporcionando o contato com o tutor em tempo real.

Uma plataforma de ensino online assegura mobilidade: o aluno pode assistir às aulas quando e onde achar mais apropriado, acessando-as do dispositivo que preferir, como tablets e smartphones. E tem, ainda, a possibilidade de seguir o curso conforme seu próprio ritmo.

Para a organização, o custo de uma plataforma de EAD é mais baixo em relação ao ensino presencial. Afinal, com um LMS, é possível ter um número ilimitado de pessoas participando do mesmo curso, ampliando seu alcance sem aumentar despesas com novas salas ou espaços físicos.

Ferramentas de EAD de qualidade possuem navegação intuitiva e acesso facilitado à metodologia de cada curso. Proporcionam também mais inteligência à instituição de ensino, que pode ter à disposição relatórios para acompanhamento dos alunos. Os dados gerados possibilitam a criação de estratégias mais assertivas para evitar a evasão e aprimorar os cursos.

A expansão dos cursos de educação a distância é inegável. Hoje, existem escolas focadas em aulas online, além de renomadas instituições, como Harvard e Stanford, que já oferecem aulas EAD. E as opções de cursos são inúmeras, desde capacitações, graduações a especializações. Saber como escolher o melhor LMS é, portanto, fundamental.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Veja mais posts

O Grupo A é representante exclusivo do Blackboard no Brasil.