Blog

19 de dezembro de 2012

Professores reaprendendo a aprender

Desde 2001 até agora, os professores andam percebendo algumas mudaças em sala de aula. Isso porque as tecnologias foram entrando no universo educacional. Com isso, especialistas começaram a pensar mais sobre o assunto. Chegaram a conclusão que o primeiro passo para os professores se adequarem aos novos formatos de educação era fazer com que eles reaprendessem a aprender e, para isso, era fundamental que eles se organizassem em redes.

Esse é um dos desafios mais interessantes que temos hoje: como é que ajudamos os professores a entender o que está acontecendo fora das escolas e os deixamos aptos para preparar as crianças para essa realidade? A resposta do especialistas apontam que os professores têm que construir suas próprias redes e se tornar responsáveis pelo seu aprendizado, assim como se espera que os alunos façam.

O professor americano Will Richardson vem há 6 anos capacitando professores para essa mudança reunindo eles em comunidades virtuais e em algumas atividades presenciais ao longo do ano letivo. Ele procura fazer desse ambiente virtual um espaço compreensivo em que os professores possam compartilhar experiências, ansiedades e expectativas e, de quebra, se apropriar das funcionalidades da internet. “Tentamos fazer com que os professores se sintam confortáveis com o ambiente online, dividam seus medos, sejam transparentes, conversem. Mas leva tempo”, afirma o especialista, que procura usar o canal que criou para mostrar exemplos do que é possível fazer e falar sobre a educação do século 21. Essa capacitação tem sido procurada por escolas públicas e particulares, que inscrevem parte do seu corpo docente para participar da capacitação.

Richardson diz que o programa é apenas parte da solução, afirmando que as próprias escolas precisam mudar radicalmente. Percebe-se aindauma importância de os alunos receberem uma espécie de alfabetização em rede, onde aprendam segurança na web, como e onde pesquisar, o que se pode ou não fazer em ambiente virtual. Quanto à estrutura das escolas, o ideal é que os espaços fossem redesenhados porque sala de aula, quadro negro e carteira já não fazem mais sentido. É preciso ter muito mais espaços colaborativos de trabalho, acesso a materiais multimídia e não apenas trancar o aluno 4 ou 5 horas diárias em uma sala de aula.